Lean Analytics: Use Data to Build a Better Startup Faster

A análise de hoje é sobre mais este livro da série de Eric Ries, escrito por Alistair Croll e Benjamin Yoskovitz. No preâmbulo, Eric Ries lembra que desde os tempos de Taylor, nós avaliamos os skills dos gerentes comparando seus resultados com o que foi prometido. Se seguiu conforme o planejado, está promovido. Agora, se você está ocupado construindo o produto errado, porque você deveria estar orgulhoso em fazê-lo dentro do prazo e do orçamento? Está é a razão porque precisamos de um novo entendimento de como mensurar progresso.

Pare de mentir a si mesmo

Essa parte do livro trata sobre dados qualitativos e quantitativos, métricas de vaidade, correlação, coorte, segmentação e indicadores de condução. Afinal, instintos são experimentos, dados são provas. Vou falar sobre cada um deles mais adiante.

Nós todos somos mentirosos

Os autores lembram que seguir o modelo de Lean Startup entrega uma alta dose de honestidade, o que o torna muito difícil de mentir, especialmente para si mesmo, isso porque trata fundamentalmente de métricas acionáveis. Peter Drucker já dizia, “se você não pode medir, não pode gerenciar”.

Como se faz uma boa métrica?

Uma boa métrica é comparativa

É possível compará-la com outros períodos, grupos de usuários ou concorrentes.

Uma boa métrica é compreensível

Se as pessoas não conseguem lembra-la e discuti-la, será difícil transformar a mudança no dado dessa métrica em uma mudança na cultura. Em outras palavras, ela não servirá para nada.

Uma boa métrica é uma relação ou uma taxa

Há algumas razões de por que trabalhar com relações é melhor do que as taxas.

  • São fáceis para tomada de decisão: fazendo uma analogia com dirigir um carro. A distância percorrida é meramente informativa, mas a velocidade – distância por hora – é algo em que você pode agir, porque isso nos informa sobre o estado atual, e se você necessita ir mais rápido ou mais devagar para chegar ao destino dentro do tempo.
  • São comparativas por natureza: Voltando ao carro, a velocidade é uma métrica, mas a velocidade sobre a média de velocidade da última hora mostra se você está acelerando ou reduzindo a velocidade.
  • São boas para comparar fatores que são de alguma forma opostos: No carro, isso talvez seja a distância percorrida dividida pelo número de multas. Quanto mais rápido você dirigir, mais distância você irá percorrer, porém mais multas você irá levar. Essa proporção sugere a você a não ultrapassar o limite de velocidade.

Uma boa métrica muda a forma como você se comporta

Isso é de longe o mais importante critério para uma métrica. Ela muda a forma com que você se comporta porque está alinhada com os seus objetivos. Algo a se perceber é que as métricas frequentemente veem em pares. Taxa de conversão (conversion rate) está ligada com o tempo para efetuar a compra (time-to-purchase), juntas elas dizem muito sobre o fluxo de caixa, por exemplo.

Anúncios


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s